Pirarucu: curiosidades, reprodução e pesca

O Pirarucu, Arapaina Gigas, faz parte de uma família tradicional e de longínqua existência em solo terrestre. Não sofre mutação há tempo superior a 100 milhões de anos e, junto a essa antiga e honrável família, está o peixe Aruaná, de tamanho inferior.

Alimentação do pirarucu

Em razão de seu tamanho enorme, é um exímio predador e se alimenta de diversos animais marinhos (principalmente peixes de porte inferior ao seu).

É um animal cuja habilidade em ingerir coisas é inexplicável. (Seu tamanho favorece conseguir engolir areia, tartarugas, cobras, seixos e diversas outras coisas e seres). Seu prato predileto são os peixes de água doce.

pirarucu

Foto: Culture Trip

É um omnívoro nato (sua alimentação é à base de substancialmente tudo).

Reprodução do pirarucu

O período reprodutivo procede à escolha dos casais. Após a escolha, vão atrás de calmaria e serenidade a fim de cuidar de seus ovos.  A fêmea tem o papel de pôr os ovos, mas é o macho o qual cuida de suas crias durante aproximadamente 6 meses.

Habitat do pirarucu

Não é um peixe para lá de muito rigoroso em seus locais em que vive (habitat). Sobrevivem em águas como lagos e rios, sejam estas mais claras, escuras; optam por estarem imersas em PH alcalino e temperaturas que partem dos 24º C até 37º C.

No Brasil, é avistado na bacia amazônica: 40% da bacia estão nas limitações do território nacional e seu restante se distribui por países como Bolívia, Peru, Equador e alguns outros.

Banham-se em águas calmas, várzea, afortunadas de vegetação e com baixo teor de oxigênio. Para diversos animas, incluindo uma enormidade de espécies de peixes, a escassez afetaria, contudo o pirarucu tem um trunfo: sua bexiga natatória.

pirarucu

Foto: Wikipedia

Características

A bexiga natatória é uma das iguarias desse peixe. Devido ao seu órgão e suas competências, o peixe tem a faculdade de resgatar oxigênio através da superfície e imergir novamente sem quaisquer complicações.

Em vista disso, essa espécie tão competente tem maior facilidade e condições de readaptações em novos ambientes. Sua resistência proporciona novos trajetos e rotas de fuga para escapar de circunstâncias adversas: como a seca ou a estiagem.

pirarucu peixe

Foto: Atlas Obscura

Em momentos de seca diversos animas marinho vêm ao óbito, infelizmente. O pirarucu conta com seu pulmão para fazer longas distâncias à procura de novas moradias.

Além de tudo, é identificada como uma das maiores espécies de peixes de todo o bioma amazônico, ultrapassando 2m de comprimento e alcançado surpreendentes 130 kg de peso.

Como e onde pescar pirarucu

Na verdade muitos dos critérios para a pesca desse bichano já devem estar ao menos sombreando sua imaginação.

Recapitulando, é um peixe de águas preferencialmente cristalinas e de água doce. Seu porte não condiz com equipamentos limitados e a bacia amazônica seria seu ponto fulcral para ser rastreado.

Falando em equipamentos, a isca natural é a melhor pedida (as suas favoritas são as tilápias e as traíras). O uso de iscas artificiais interferirá negativamente em seus resultados e receita-se estar equipado de anzóis redondos, pois suportam mais seu peso.

Quanto tempo vive o peixe pirarucu?

Considera-se a fase adulta da espécie a partir de seus 5 anos de idade. Sua expectativa de vida é de quase duas décadas (18 anos, mais precisamente).

Quanto custa um kg de pirarucu?

É um peixe requisitado e bem cotado. Dependendo de onde e como são vendidos, os valores consegue derrubar o do filé-mignon (tratada como carne de primeira estripe). No mínimo pode se encontrar por R$ 35,00 e pode ultrapassar a casa dos R$ 50,00/kg.

Um fato social recorrente é a quantia ínfima recebida pelos pescadores se comparada com o valor final do produto: de R$ 3,50 até R$ 5,50 (por kg pescado).

Risco de extinção

Se o fortuno leitor chegou até esse ponto de sua leitura lendo cuidadosamente, deve ter elaborado uma opinião que é, a certo modo, verídica: os pirarucus são símbolo, e não só símbolo, de força, resistência e adaptação.

Isso é inegável e irrefutável. No entanto, o momento é de sinal amarelo (atenção): o saldo é negativo. Isso se relaciona com o fato de a pesca vir sendo maior em comparação com sua reprodução.

Como será dito no próximo subtema sobre a imaturidade sexual do peixe em sua juventude, ignoraremos esse cenário de desproteção. Então, a maior situação de perigo ao pirarucu é na fase de desova.

A fase da desova é marcada pela fixação do casal em ambientes mais refugiados e rasos. Durante esse estágio, o macho é o responsável por proteger e cuidar de seus filhotes e seu ninho e estão indefesos para ataques predatórios.

Desde 2004 o a instituição IBAMA vem providenciando medidas para que controle esse déficit nas vidas desses peixes, como a proibição de pesca durante o defeso e dimensões mínimas para comercializá-lo,

Curiosidades sobre o pirarucu 

– A fêmea tem capacidade de por mais de 10 mil ovos!

– Seu predador natural é a piranha.

– Enquanto os pirarucus não superam a imaturidade sexual, estão suscetíveis a ataques de seus predadores naturais, ocasionando fragilidade ao processo de reprodução da espécie em questão.

– Partes dele, antigamente, já foram utilizadas como artefatos do dia a dia. Por exemplo: as escamas de peixe tinham a funcionalidade de lixar a unha.

– A semelhança de sabores entre a carne do pirarucu e do bacalhau fez ser afetuosamente apelidado de “Bacalhau da Amazônia”.Veja também um pouco sobre o pirara e o peixe oscar!

Receita de Pirarucu de casaca

O pirarucu não poderia ser deixado de lado na piscicultura. Principalmente onde mais é situada no Brasil: Amazônia. Sua carne tem extremo apreço tanto por moradores locais como por turistas. Um dos pratos mais servidos em festas juninas lá é o Pirarucu de casaca.

Ingredientes da receita:

  • 1 kg de peixe pirarucu salgado;
  • Um pouco de azeite;
  • 2 tomates pequenos sem pele e sementes picadinhos;
  • 2 cebolas pequenas picadas;
  • 1 maço de cheiro verde;
  • Um pouco de pimenta de cheiro;
  • Batata palha;
  • Banana da terra frita;
  • Farinha de mandioca.

Modo de Preparar:

Deixe o peixe de molho de véspera para retirar o sal, frite em pedaços e desfie.

Com a cebola, o tomate o cheiro-verde e a pimenta, faça uma salada e junte o azeite e sal a seu gosto.

Pegue um pouco de manteiga derreta e vá colocando a farinha, uma farofa simples e reserve.

Escolha um tabuleiro médio e arrume em camadas da seguinte forma:

Coloque uma camada de pirarucu desfiado.

Em uma segunda camada coloque a farofa.

Na terceira camada coloque a salada.

Por cima na quarta camada, coloque a banana frita.

E por fim, a quinta camada deve ser de batata palha.

Leve ao forno apenas para amornar e sirva com arroz branco.

Pirarucu: curiosidades, reprodução e pesca
5 (100%) 1 vote[s]

Leave a Reply