Como funciona a pescaria de tarrafa

A pescaria de tarrafa é um dos principais e tradicionais métodos de coleta de peixes e camarões utilizados por pescadores tanto da costa Brasileira como os das regiões interioranas.

No mercado brasileiro podem ser encontrados 3 tipos de tarrafas: feita à máquina ou industrial, feita à mão e a de argola.

A escolha de cada uma dessas pelos pescadores relaciona-se especialmente: aos objetivos da pescaria, estilo de cada pescador, local onde será realizada a pescaria (em ambientes de água doce ou salgada) e por fim, o poder de investimento, pois há grandes diferenças de preço entre elas.

Neste artigo, apresentaremos importantes informações sobre o funcionamento, desvantagens, os peixes que são capturados e tipos de pescaria de tarrafa utilizados no Brasil.

Como funciona a pescaria de tarrafa

A tarrafa é um apetrecho de pesca feito com diversos tipos de linha. Seu comprimento pode chegar até 20 metros, variando conforme os objetivos do pescador. A utilização desta técnica é indicada para profundidades de 1 até 6 metros.

Pescaria de Tarrafa

Amplamente usado no Brasil, especialmente pelas comunidades ribeirinhas e por ictiologistas (biólogos que estudam os peixes).

Basicamente, ela funciona do seguinte modo: o pescador arremessa a tarrafa manualmente em locais de baixa profundidade, com o intuito que a rede tenha o máximo de abertura antes de entrar em contato com água.

No momento em que a tarrafa cai sobre a água ela afunda rapidamente e acaba se fechando. As espécies de peixes alvo são de porte pequeno a médio. Leia Também sobre pescaria de tilápia

Pescaria de tarrafa no mar

Para o uso da tarrafa em ambiente marinho, ela pode ser arremessada da borda da praia ou de alguma embarcação. Geralmente, as tarrafas utilizadas no mar são a feita à máquina, a feita à mão e a de argola.

A tarrafa feita à máquina é mais usada por pescadores amadores. Contudo, os outros tipos de tarrafa mencionados são usados por pescadores experientes. Sendo que a tarrafa de argola é indicada para a captura de peixes de um porte pequeno como sardinhas e tainhas, além da pesca do camarão.

Para a pesca no mar a tarrafa tem que ser pesada por ser um ambiente com movimentação de água intensa. Os peixes mais comuns coletados por esta técnica são robalos e tainhas.

Pescaria de tarrafa em açude

A utilização das tarrafas para pesca em açudes é bem eficiente. Uma vez que seu uso é mais adequado para ambientes aquáticos de baixa profundidade. Para essa atividade a tarrafa mais indicada é a feita à mão.

tarrafa

Para açudes é interessante o uso de tarrafas feitas com fio de nylon entre 0.40 a 0.50 devido às características do ambiente e dos peixes pesados e robustos, como “peixes de couro”.

Em açudes, o pescador pode arremessar a tarrafa de cima de alguma pedra, de alguma pequena embarcação ou ainda pode se posicionar dentro de certa profundidade e realizar o arremesso.

Os peixes mais comuns que são capturados por tarrafas neste tipo de ambiente são tilápias, carpas comuns, traíras, tucunarés e piau.

Desvantagens da pescaria de tarrafa

Uma das desvantagens de se usar tarrafas na pesca marinha é que incidentalmente pode-se acabar capturando na rede as tartarugas marinhas, desse modo, oferecendo algum risco para este grupo animal.

Em se tratando das tarrafas, a feita máquina apesar de baixo custo a sua abertura nunca alcança seu desempenho máximo, desse modo, a quantidade de pescado coletado é sempre menor do que as demais tarrafas.

A tarrafa feita a mão possui o melhor desempenho na captura de peixes, não obstante, possui um alto custo de aquisição, custando até 600 reais. Por sua vez, a tarrafa de argola, é a mais prática, no entanto, é limitada para apenas peixes pequenos. Ainda assim a pescaria de tarrafa é uma das melhores técnicas.

 

Avalie esse conteúdo

Leave a Reply